CENTRO CYCLIN’PORTUGAL PORTO MONIZ

 
O Município de Porto Moniz desenvolveu, de 2017 a 2019, a idealização e construção do primeiro Centro de BTT, na Região Autónoma da Madeira, o Centro Cyclin’Portugal Porto Moniz.

Este centro é uma infraestrutura ímpar a nível nacional e destaca-se pela sua singularidade, quando comparado com outros trilhos de BTT, especialmente na Região Autónoma da Madeira e sobretudo em Portugal Continental, pois cumpre com todas as especificidades exigidas para a obtenção de certificação internacional, o que confere a este projeto um estatuto de referência no ecoturismo e desporto da natureza.

Prevê-se que o centro de BTT venha a ser uma mais valia para o concelho, valorizando aquilo que a mãe natureza nos ofereceu, potenciando o nosso valor patrimonial tornando-o apetecível a quem nos visita, pelo que a edificação deste projeto vai ao encontro da estratégia de posicionar o Porto Moniz como a capital dos desportos outdoor no mercado regional, nacional e internacional.

 

A INFRAESTRUTURA

 O Centro Cyclin’Portugal Porto Moniz integra um percurso destinado à prática do BTT, que é composto por 26 quilómetros, divididos em 8 trilhos, com diferentes níveis de dificuldade, que percorrem a Serra do Fanal, reutilizando veredas antigas, intransitáveis até esta recuperação, pela falta de uso dos mesmos, adaptando-os à prática exclusiva do BTT.  

Aliada à recuperação dos trilhos, foi também recuperada uma infraestrutura, localizada junto à Foz da Ribeira da Janela, que contém balneários e ainda um posto de lavagem para bicicletas.

 

PERCURSOS  - AM/XC

 

O percurso verde, é um pequeno passeio familiar que começa na porta de entrada do centro. Vai em direção à lagoa de inverno do Fanal em singletrack e depois sobe em direção ao Posto Florestal em caminho florestal. A paisagem é sublime, com grandiosos Tis, a pintar o prado verdejante. Após o Posto Florestal, podem optar por seguir para o percurso 2, ou finalizar junto ao ponto de partida.
 

Este percurso circular, percorre todo o Montado do Fanal, passando pelos principais miradouros e pontos de interesse cultural. Os palheiros na cidade fidalga; O Fio, que outrora transportava lenha e feiteira para os campos de cultivo lá em baixo na Ribeira Funda; Os magestosos Tis; A Lagoa do Fanal; Os diversos miradouros para a costa norte e para o maciço montanhoso central, com o imponente Pico Ruivo. Aliado à beleza avassaladora do local, ponto de visita obrigatório na Ilha da Madeira, o trilho em si foi desenhado para permitir o acesso a todo o tipo de praticantes. Maioritáriamnete em singletrack, pode ser dividido em duas secções, a primeira da circundar a Lagoa e a segunda o planato. Uma experiência única e memorável.

ENDURO

Percurso fácil, de iniciação ao Enduro, inicia-se junto à Lagoa de inverno do Fanal. Após uma pequena secção em caminho florestal, entra numa zona de single track muito bonita e fluída, que corre paralela a um pequeno riacho. É a entrada perfeita nos percursos de Enduro.

O percurso azul, encontra-se logo após o percurso verde, apenas separado pela ER e caracteriza-se pela sua fluidez e poucos obstáculos. Quase sempre sobre o manto da Floresta Laurissiva, é uma experiência emersiva, onde a floresta se confunde com o trilho, que serpenteia o amaranhado de Urzes e Tis . Embora pouco inclinado no geral a diversão é garantida. A Ligação para o Percurso 3 ou de regresso à porta de entrada, faz-se pela ER209 e tem 2km apróximadamente.

Antes de iniciar a descida do Cabeço da Entroza, verifique o caudal da Lagoa Grande do Fanal. Uma antiga cratera vulcânica, que se enche de água após periodos de chuva intensa. O maior de todos os percursos de Enduro, começa com uma descida que define o mesmo, exigente em termos técnicos e físicos, é um misto de antigas veredas com trilho construído para a prática do BTT. Atenção aos cruzamentos com os caminhos florestais e com a levada dos Cedros.

Uma ligação muito curta liga o Cabeço da Entroza ao Curral Falso, o percurso mais curto de enduro mas muito intenso e bonito. A sequência de switchbacks no final com passagens por rockgardens e raízes na parte final mantém a emoção em níveis elevados.

 

 

A Chã da Toca, é um percurso especial com diferentes tipos de piso e “flow”, segue paralelo à Ribeira da Lage. A parte inicial é pouco inclinada e o piso muito orgânico. Cruza várias linhas de água e apresenta zonas normalmente muito húmidas. Após a passagem pela zona de lazer, fica mais inclinado e técnico. Com curvas muito encaixadas e rápidas. Especial atenção na descida até à estrada que deve ser feita com a bicicleta na mão.

 

Percurso Especial muito técnico, especialmente se o piso estiver molhado. Muitos rockgardens, raízes e alguns saltos com gap. Traquada é um dos percursos mais antigos que ligava a Ribeira da Janela às zonas altas de floresta e que se mantém mais ou menos na sua forma original, adaptado para a prática do BTT. Na ligação à Eira da Achada, onde podem apreciar uma das mais belas vistas da costa norte da Madeira, podemos observar uma pequena secção do antigo caminho real, as mais antigas vias de comunicação que ligavam toda a ilha.

 
 
 

EMPRESAS ANIMAÇÃO TURÍSTICA NO PORTO MONIZ

 
http://etropical.net https://offroadexperience.pt



 

Para melhor usufruto da sua experiência, o Porto Moniz disponibiliza uma variada oferta de unidades de alojamento onde poderá pernoitar no nosso concelho e degustar, ainda, a maravilhosa gastronomia local e regional.


Onde Comer?

https://www.portomoniz.pt/pt/visitantes/onde-comer/restaurante


Onde Ficar?

https://www.portomoniz.pt/pt/visitantes/onde-ficar/alojamento

 

Projeto cofinanciado por:

Partilhar