O Convento “Santo Domingo de La Villa de Teguise”, hospedou o I Seminário Transnacional de Intercâmbio de Experiências.

Nas palavras do Sr. Presidente da Câmara de Teguise, "A prioridade é valorizar o nosso património natural e etnográfico para o turismo, tornando atrativo o nosso modo de vida natural aos olhos de quem nos visita, com especial ênfase na diferenciação da cultura, paisagem e autenticidade de cada destino e seu povo ", disse Oswaldo Betancort.

Durante dois dias, Teguise é o anfitrião e quem encabeça a lista dos municípios convidados, entre eles o Porto Moniz, que irá receber cerca de 10% de um orçamento total, distribuídos por todos os parceiros, no valor de 2,546,852.75 euros. Uma experiência única que tem como eixo central a cooperação transnacional de todos aqueles que compõem o espaço de cooperação territorial.

Graças ao apoio da MAC 2014-2020 programa (Interreg), promovido pela União Europeia, este projeto chamado ECO-TUR, promove a criação de uma rede transnacional de municípios ECO-TUR para estabelecer uma estratégia comum e metodologias para a implementação de um turismo ativo, bem como de planos de ação a desenvolver pela rede e promoção de novos produtos e serviços.

O Sr. Presidente Emanuel Câmara, foi hoje recebido pelo seu homólogo de Teguise, sendo presenteado com uma peça de artesanato local.

Decorre hoje, na Ilha de Lanzarote do arquipélago das Ilhas Canárias, um encontro transnacional de ecoturismo, onde está representado o Município de Porto Moniz.
Em discussão o Programa de Cooperação INTERREG V A Espanha-Portugal MAC (Madeira –Açores-Canárias) “MAC 2014-2020”, que reúne 17 parceiros de todos os territórios do espaço de cooperação, que dispõe de 2.500.000 de euros para desenvolver ações e parcerias relativas à atividade do ecoturismo, entre los 17 sócios nos próximos 3 anos.
O Espaço de Cooperação Madeira-Açores-Canárias (MAC) é composto por três arquipélagos pertencentes a Portugal e Espanha e catalogados como Regiões Ultraperiféricas. A condição insular condicionou historicamente o desenvolvimento económico, social e cultural destes territórios, aumentando a sua dependência externa e dificultando o seu desenvolvimento devido às desvantagens que representam a fragmentação e o isolamento do território. Além disso, existe ainda a distância ao restante espaço económico dos territórios de que fazem parte levando a que haja necessidades diferenciadas. Com o objetivo de aumentar o espaço natural de influência socioeconómica e cultural, bem como as possibilidades de cooperação das ilhas da Macaronésia com Países Terceiros geograficamente próximos, foram convidados a juntarem-se ao espaço de cooperação Cabo Verde, Senegal e Mauritânia. Desta forma, o âmbito territorial do novo Programa também se estende a estes territórios.

 

Nos dias 1 e 2 de dezembro, o Presidente da Câmara Municipal do Porto Moniz, Emanuel Câmara, e o Vereador Nélio Sequeira participaram num colóquio " Floresta da Laurissilva" organizado pelo município do Nordeste e da Povoação, no Concelho do Nordeste, Ilha de São Miguel, Açores.

O colóquio, que juntou os representantes dos dois municípios, assim como a Direção Regional dos Recursos Florestais dos Açores e a SPEA, como entidades locais que têm desenvolvido trabalho nesta área, pretendeu discutir a preservação e a valorização da floresta Laurissilva, numa iniciativa da Câmara Municipal do Nordeste e Porto Moniz, que vá ao encontro da aposta destas autarquias na promoção dos concelhos como um destino de montanha.

Na abertura do colóquio, o presidente da Câmara do Porto Moniz, Emanuel Câmara, enumerou algumas ações desenvolvidas pelo município no sentido da promoção do Porto Moniz como um território com características favoráveis e atrativas para o visitante que aprecia o contacto com a natureza e em especial com a montanha.

O Vereador Nélio Sequeira falou sobre as atividades lúdicas e desportivas que se realizam ao longo do ano no nosso concelho, sem prejuízo pela conservação da nossa floresta endémica.

No colóquio foi debatido temas como os desafios e as novas oportunidades da floresta autóctone; as reservas naturais e parques ecológicos; a educação ambiental; o pedestrianismo; o desporto de natureza e a importância da Laurissilva no turismo da Madeira.

No segundo dia dos trabalhos, foram realizadas algumas visitas a zonas de intervenção e gestão de áreas protegidas, nomeadamente à serra da Tronqueira.

Visita ao Centro Ambiental do Priolo

 

Partilhar